ACORDEON

O Musica&Sons oferece aulas de ACORDEON para alunos iniciantes e intermediários. Os métodos mais utilizados são os de Anzaghi, Pietro Deiro, Alencar Terra, Canto Sul (métodos gaúchos) e outros.

O curso de ACORDEON não é MODULAR como o de PIANO (ver) pois é totalmente personalizado, ou seja, atende às necessidades de cada aluno em função do tipo de música ou repertório que pretende dominar.

Em geral, três anos de aulas regulares (uma por semana) vai dar uma base técnica suficiente para o praticante aprender a estudar por si. Nos nossos vídeos(áudio-aulas), os alunos encontrarão os princípios da Arte de Tocar o Acordeão, com diversas peças executadas e comentadas pelo Professor Hélder.

Apresentamos a seguir um breve histórico sobre o ACORDEON:

O acordeon, conhecido também como acordeom (com ‘m’), acordeão, acordeona, gaita, sanfona, harmônica, fole, concertina, sinfonia, realejo, palheta, botoneira etc, foi inventado na França no ano de 1852, por Boulon. Mas as origens do acordeon são muito mais antigas, em 2700 a.C., já existia na China um instrumento musical denominado cheng, tocado até hoje. É uma espécie de órgão de sopro (tocado com a boca). O cheng tem 3 partes e que correspondem às três partes principais do acordeon moderno:

1. Um recipiente ou bolsa de ar

2. Um canudo para assoprar

3. Diversos tubos de bambu

O interior de um acordeon é formado por palhetas ou gaitas, fixadas em pequenos suportes de madeira chamados ‘castelos’. Palhetas maiores produzem sons mais graves, e menores, sons mais agudos, abrangendo toda a escala cromática. Quanto mais forte o ar forçado para as palhetas, mais intenso é o som. O movimento do fole é controlado com o braço esquerdo.O som do acordeão é criado quando o ar,produzido no abrir e fechar do fole, passa por pequenos tubos nos castelos que o direcionam até as palhetas. Os diversos registros do acordeon servem para imitar vários instrumentos (flauta, flautim, bandoneon, órgão, violino, oboé, fagote, clarinete, saxofone etc). O acordeon tem grandes possibilidades expressivas, seja acompanhando, solando, em regionais, em sala de concerto, em todo tipo de world music etc. Seu teclado (mão direta) abrange de 2 a 3 oitavas e meia. O dedilhado é idêntico ao do piano. Na mão esquerda, botões, os acordes já estão prontos.A maioria dos acordeões tem quatro vozes, que são diferentes oitavas para uma mesma tecla ou botão. Portanto, em um acordeão de quatro vozes, com o registro 'master' (o principal, mais comum, síntese de todos os timbres) pressionado, ao tocar um Dó, na verdade são tocados dois Dós na própria oitava pressionada, um Dó uma oitava acima, e um Dó na oitava abaixo, isso é responsável pelo som único do acordeão. Muitos apreciadores do acordeon consideram o seu timbre o mais lindo que a natureza e o engenho humano já pode produzir.

O primeiro acordeão que chegou ao Brasil chamava-se concertina (acordeão cromático de botão, com 120 baixos). O acordeão tornou-se popular principalmente no nordeste, centro-oeste e sul do Brasil. Os primeiros gêneros (fado, valsa, polca, bugiu, vaneirão etc.)retratavam o folclore dos imigrantes portugueses, alemães,italianos, franceses e espanhóis.

No Nordeste do Brasil, o acordeão é mais conhecido como sanfona. No início do século XX, na época da construção da malha ferroviária brasileira pelos ingleses, as festas dos trabalhadores eram animadas com um novo ritmo, o forró (‘for all’, para todos), característico do próprio nordeste brasileiro, e seu instrumento principal, o acordeão.No sul do Brasil, o acordeão é conhecido como gaita e é o principal instrumento na música regional.

No Dicionário Cravo Albim da Música Popular Brasileira encontramos a seguinte definição para SANFONA: Instrumento do tipo do acordeão, dotado de teclado, registros e botões. O som é produzido pela compressão e distensão de um fole "sanfonado". O ar faz vibrar palhetas livres dispostas nas suas extremidades. O Dicionário “Larrousse" informa ter sido o acordeon inventado em 1827 por C. Buffet (obs., portanto, antes de Boulon). Sua introdução no Norte brasileiro data aproximadamente da Guerra do Paraguai (1864-1870). Também chamada de concertina, gaita, harmônica, acordeona, realejo, fole (nome idêntico no norte de Portugal), é instrumento característico da música popular do Nordeste brasileiro. Verdadeira orquestra nos bailes populares, acompanha cantos. O cantor e compositor Luiz Gonzaga, o ‘rei do baião’, se transformaria na figura central dentre todos os executantes e criadores do instrumento.

Todos os métodos e repertórios estão disponíveis em nossa escola.

Escolha o seu módulo e clique no botão ao lado para inscrever-se.